sexta-feira, 4 de abril de 2008

O que você queria ser?

Quando eu tinha 10 anos, achava que com 15 ia estar morando fora do Brasil, numa casa de família, pra quando formada, voltar pro Brasil e sair da casa da minha mãe. Fiz 15 e mal conhecia a Disney, morei por aqui mesmo e me formei com o mesmo pessoal que conhecia desde os 12. Com 18 fui pra lá, mas quem disse que consegui ficar? Voltei e mal sabia o que queria fazer de faculdade. Sair de casa então, nem pensar. Comigo mesma pensei "que ótimo, porque ainda tenho muito o que viver pra me manter, ter uma casa só minha, estabilidade e aquela coisa toda. Vou é curtir minha juventude". Só que uma hora essa coisa de adolescer me cansou e eu achei um namorado, aquele sério que eu achava que encontraria aos 18. Ele veio 1 ano depois. Achei que ia casar, ter filhos, fizemos planos. Me via mãe de família, emprego, formatura. Aí chego onde era pra eu estar nos meus sonhos. Sem namorado, sem emprego e um pouco longe de formada. Meus planos foram se desfazendo, e será que eu imaginava isso com 10 anos? Claro que não. Assim como não imaginava nem de longe como é doido esse negócio de decidir algo que vai ficar contigo pro resto da vida como se decide que cor de blusa usar na festinha de sábado. E quem não nasce sonhando ser médica, ou engenheira? Com 13 anos eu nem sonhava que mercado de trabalho fosse algo que me atrapalharia a seguir uma carreira sonhada, por exemplo. E com 16? Como saber que Toronto faz um frio maior que o de Teresópolis? Nunca aprendi muito bem temperatura, lamento. Hoje, não sei se ia querer estar casada ano que vem. Rapaz, de nem fazer minha cama eu lembro todo dia de manhã, quanto mais dos cuidados que um filho e uma casa trazem - pra sempre. Mas as coisas mudam, e de repente eu vou parar na Grécia quinta que vem, morando sozinha ou com meu futuro marido, que me liga amanhã e diz pra largar tudo pro alto, que eu vou amar as ilhas de lá. O exame dá positivo e antes dos meus 23 anos pronto, a gente tem gêmeos, que coisa linda. Ou não, e amanhã é só mais um dia como hoje, em que eu fique pensando como vou me ver em 2012 - e se era isso mesmo que eu queria ser em abril de 2008.

4 comentários:

Fã - que nao aparece faz MTO tempo disse...

Eu tenho sua idade, 1 mes mais velha..Nao faço a minima ideia do que quero da minha vida, mto menos oq vai acontecer com ela. To tão "perdida" qto vc!
Acho q eh ate normal..sei la...Eh tão dificil que as vezes eu acho q vou enlouquecer por nao saber oq quero da vida!
Um dia a gente se encontra! As coisas acontecem!
Beijos
Boa sorte na sua busca!

Fã de novo disse...

Ahh por favor, atualiza mais o fotolog, to com saudades!
Beijos

Uktena disse...

A vida é estranha, e às vezes nos prega peças...
Se vc se sente confusa assim aos 22, pense que, pelo menos, msm q vc não esteja fazendo as coisas q sonhou qnd criança, vc ESTÁ fazendo algo, e, acho, algo q vc gosta de fazer.
O importante é nunca se abater, e, de preferência, nunca olhar pra trás com tristeza.

Beijão PPA !!!

Nanda Mota disse...

É assim mesmo, Nina. Não adianta... Quando eu tinha lá meus 12 anos, e vi isso por um caderno de perguntas que uma amiga me mostrou anos depois, eu queria ser publicitária ou psicóloga. Passei pra Publicidade, na faculdade que eu queria (UFRJ), só pra descobrir que eu gostava mesmo era de Marketing. Terminei a faculdade pra correr atrás de uma pós. Me formei em Marketing e pouco tempo depois percebi que o meu namorado de quase 8 anos, com quem eu achava que ia casar e ter filhos não tinha muito a ver comigo em várias coisas. E que eu tinha crescido. E queria outras coisas da vida. Planejar é ótimo, mas saber tirar o máximo dos imprevistos da vida... Acho que aí é que está o segredo da coisa... ;)

Postar um comentário