quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

A dificuldade do fim

Ouvi hoje que o ser humano tem dificuldade de lidar com o fim das coisas, de qualquer coisa. Relacionamento a dois ou não, a dificuldade existe em todo mundo. Parei pra pensar e vi que isso tem um fundo de verdade. Comecei a lembrar de casos meus, de casos de amigos, casos que ouvi falar, de casos que vi de perto e dos que acompanhei até de longe. A verdade é mais verdade do que eu pensava. Em todos os as aspectos, e casos.

Sair de uma empresa é difícil. Mesmo que seja você quem esteja pedindo demissão, mesmo que você detestasse aquele lugar, vai fazer o que com o costume de ir todos os dias pra lá?

Sair do colégio, seja pra ir pra outro, seja pra não ir nunca mais porque se formou. Nem menciono meu caso, do meu tempo de escola eu sinto saudade todos os dias, mas mudança não deixa de ser um fim, e a dificuldade existe. Para ser superada, sim, mas existe.

Dar um fim a uma amizade. Mesmo que esse amigo seja um porre, mentiroso, que tenha te traído. Você faz um bem a você mesmo tirando esse "amigo" da sua vida. Mas o cara era gente boa, vocês tiveram bons momentos juntos. É um fim difícil, por mais coerente que seja.

Acabar a faculdade. Eu mesma conto os dias pra isso. Ao mesmo tempo que não quero que acabe. O pessoal reunido contando piadas que só quem faz aquele curso entende, o jogo de cartas nos intervalos (ou durante as aulas, faz parte), o tempo em que estágio parece um martírio mas vai arrumar um emprego pra você ver só.

O fim dá medo.

Quando pensei em relação a dois, a verdade tomou um tamanho que eu pensei 'preciso compartilhar', e vim. Aceitar o fim de um relacionamento é extremamente complicado. Quando é a gente que termina, vai dizer que, mesmo que de caso pensado, você não perdeu a conta das vezes que cogitou se estava fazendo o certo? Aposto que repensou mil vezes a mesma coisa, pesou prós e contras e, mesmo com coerência e certeza, quase escorregou quando foi ter aquela conversa. Mesmo dizendo que era preocupação com o sofrimento que o fim poderia causar ao outro, no fundo a gente sabe que sentia um medo também. De se arrepender e depois não poder voltar atrás, da reação do/a namorado/a.

Quando terminam com você, ah, o medo. Já começa na conversa, na maldita conversa. Você sente que algo está acontecendo. E sente medo. É o medo do fim que está vindo, que você vê e sente que está chegando. Medo da dor que vai sentir, do sofrimento que você não sabe até quando vai te corroer por dentro. Você tem medo que esse sofrimento te corroa por fora. Medo do que fazer sem a pessoa amada, medo dos dias vazios que virão, da saudade que vai martelar. Nossa senhora, você morre de medo do que vai ser de você a partir daquele fim. Fim que você previa, talvez, mas e daí? Continua sendo um fim, continua doendo, e por isso e tanto mais, te dá um medo danado.

O medo do fim pode durar pouco, pode ser superado, pode inclusive ser pequeno. Não importa. O medo EXISTE. Em todo mundo. Não importa a idade - quem não tem medo de morrer? De sofrer nessa morte, de ter mesmo vida eterna e ter que ver o sofrimento dos que ficaram. O fim da vida traz medo, mesmo que seja o medo de ficar pra semente. Tem gente com medo de envelhecer, é o medo do fim da juventude. Chegar ao fim dá medo, mas é preciso do fim para que haja novos começos, e principalmente, recomeços. Seja nessa vida ou em outras, nesse texto ou no seu novo emprego. Dá medo acabar com esse namoro que você sente que não vai a lugar algum, quando você quer ir.

Lembra do medo de escuro, que você aprendeu a ligar o abajur? Foi quando você descobriu que o medo não passa, mas a gente enfrenta. Você tateou e achou o interruptor. Bateu o dedinho no pé da cama, fez um roxo na perna, mas achou. Quando for terminar algo, é a mesma coisa. Vai dizer umas besteiras, se arrepender de outras, chorar por algumas. Mas vai superar, e achar a sua tomada. É só uma questão de tempo - e de coragem.


5 comentários:

Anônimo disse...

nessas horas as duvidas ficam martelando nossas cabecinhas... é sempre triste.
Rodrigo

Anônimo disse...

So com mt força de vontade.

Mariah disse...

cara, na moral...huahuhuahuahuahu esse seu texto foi praticamente uma terapia...acho que um dos melhores...e olha que todos são muito bons.


acho que o ruim é vc terminar uma história, um capítulo da sua vida sem fazer idéia do que vem pela frente....na minha opinião, o medo se projeta mais no que vai vir do que no que ta indo...pq é aquilo, oq ta indo vc conhece, vc pode "administrar"..mas o que vai acontecer e vc não sabe?...vc não sabe como lidar, vc não sabe oq é...
bom, pelo menos isso serve pra mim hahaahahahaa...medo de como vai ser daqui pra frente...de "não ter as rédias" do que está por vir.


meu deus, me embolei toda...auhahuahuahuahuahua

Bruno disse...

E muitas vezes o pior nem é o sentimento relacionado a outra pessoa, e sim as espectativas que criamos relacionado à relação... aqueles pensamentos, que encontramos a pessoa certa, a familia a ser formada, os possíveis filhos e diversos outras espectativas... desta forma não interessa, se o termino era inevitavel, esta espectativa, nos corroi... e apenas o tempo para curar... mas é dificil... eu já passei por isto diversas vezes... e não aprendo a lidar com isto...

Victor Almeida disse...

A pior parte é esse pós término, é nessas horas que ficamos lembrando dos momentos bons, conversas, brigas.. Enfim, mas tudo na vida se supera. O meu caso foi mais tranquilo. O namoro chegou ao fim pelas duas partes, sendo assim, será bem mais fácil esquecer aos poucos.

"chegar ao fim da medo, mas é preciso do fim para que haja novos começos, e principalmente, Recomeços."

Ótimo texto Ninoka! :D

Postar um comentário