quarta-feira, 19 de maio de 2010

O que sobra?

Recebi o seguinte (e único hahaha) comentário no último post:

"A gente enraiza na gente aquilo que a gente acha que é, e esquece que crescemos, mudamos... e queremos continuar contando o mesmo discurso de quando tinhamos 13 anos... Quando falta sonho pra gente o que que sobra?"

Senti que era uma pergunta meio(?) direcionada pra mim... E resolvi responder, afinal comecei a me perguntar o que 'me tinha sobrado'.

Antes de mais nada, é bom lembrar que meu discurso de 13 anos nunca foi meu sonho - eu realmente nunca os tive. Curiosidades, vontades, nunca sonhos.

Sobram-me o que sempre tive: vontades. Hoje, talvez eu esteja me vendo como alguém que deixa as vontades para o lado 'férias': coleciono locais que pretendo visitar nos raros momentos que em que consigo me ver descansando nos próximos meses. No ramo profissional, estou me deixando levar. Literalmente. 'Nina, você pode fazer isso?' e eu estou sempre podendo. Não sei mais se porque quero aprender ou se porque é mais fácil. Só sei que vou. E nesse ir, vai me sobrando (mesmo que eu ache que nunca é demais) conhecimento.

No ramo pessoal, mais precisamente com meu namorado, não vejo momento mais proprício para 'me deixar levar', quando namoro uma pessoa com quem coleciono planos obrigatórios (leia-se 'ele só se forma em alguns bons anos) de fazer muita coisa antes de juntar as escovas de dentes (mesmo elas já estando juntas no meu banheiro, lá em casa). Ele me completa, muito mais do que me sobra.

Sobram momentos ótimos com a minha família, que fez tantos planos, sonhou tanto e não temos com a gente a pecinha pequena que nos deixou no final do ano passado. Sobram lembranças com ela, em todos nós.

Sobram meus muitos e todos muito bons amigos me provando que posso, sim, ter muitos e eles serem bons, nada de 'poucos porém bons' amigos. Eles me deixam felizes - de sobra.

Sobra país, cidade, bares que quero ir, e claro, minhas vontades. De ter filhos, quem sabe, de casar, vai que acontece? De ir pra Globo, de crescer aqui mesmo e minha vontade de ir pra lá morrer com o tempo.

Principalmente, me sobram dúvidas. A gente nunca sabe de amanhã. Mas podem sobrar coisas que sabemos - pelo menos por hoje.

3 comentários:

de Morais disse...

Que saudade que estava de ler seu blog, princesa!

Conversaremos mais tarde =]

Amo Você.... pra sempre!

Carolina disse...

Era uma pergunta antes de você, pra mim mesma...
Acho que quando a gente deixa de sonhar (mesmo não querendo dar esse nome as nossas "vontades")a gente deixa de viver...

Tô sempre por aqui, gosto de ler você...

Anônimo disse...

cada um sabe aquilo que o faz feliz...eu não quero coisas que me completem, mas que me transbordem!

Postar um comentário