sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Gaste seu amor

"Gaste seu amor. Usufrua-o até o fim. Enfrente os bons e os maus momentos, passe por tudo que tiver que passar, não se economize. Sinta todos os sabores que o amor tem, desde o adocicado do início até o amargo do fim, mas não saia da história na metade. Amores precisam dar a volta ao redor de si mesmo, fechando o próprio ciclo. Isso é que libera a gente para ser feliz de novo." (Martha Medeiros)

Eu adoro a Martha. Se você nunca leu isso aqui, percebeu pela forma como eu escrevo - considero que parecemos um pouco. Talvez eu seja ela em alguns anos, talvez ela tenha sido eu aos 20 e pouco, sei lá. Adoro as coisas que ela diz. Raramente não concordo com algo escrito por ela, e as raras vezes são SEMPRE porque eu sou nova demais para entender. Esse texto aí em cima é uma delas.

Lido há 5 anos, eu certamente concordaria por uma questão dessas palavras parecerem fazer um sentido óbvio, pra mim. Hoje, por experiência própria, aconselho que sigam à risca. Poucas coisas são piores do que a sensação de amor 'sobrado' dentro de você. Está lhe parecendo óbvio também? É que, como eu há alguns anos, você deve pensar que MUITA gente deixa amor sobrando. Talvez esse número seja menor...

As pessoas têm diferentes formas de demonstrar o amor que sentem pelas outras. Pode parecer louco, mas ignorâncias, grosserias, patadas e afins podem ser demonstração de amor. Corretas, bacanas, suportáveis? Provavelmente, na maioria das vezes, não. É preciso sempre buscar o equilíbrio e bla-bla-bla de terapeuta, mas PODEM SER FORMAS DE AMAR.

A verdade é que SÓ você sabe o amor que cabe sentir. Metaforicamente dentro do coração, fisicamente saindo pelos seus poros. O mundo inteiro pode te avaliar e pensar que seu amor é pouco, muito, menos do que poderia, enfim. Não ligue. Se a pessoa a quem você direciona seu amor SENTE o que lhe cabe, ou a maior parte disso, já valeu.

Porque não existem palavras que consigam mensurar o amor que a gente sente, nem quando é de mais, nem quando é de menos. Matemática e exatidões não andam com sentimentos; não à toa quem os fala é de humanas. Esquece essa coisa de 'infinito', quadrados e cubos. Ame o quanto você sabe, e torça pra que o alvo o saiba também.

Só não esquece de amar até a última gota, pra não ter que passar por isso.

3 comentários:

Anônimo disse...

Não faz sentido analisar as formas geométricas nem as equações de uma obra de arte.
"Quem ousaria avaliar um 'Van Gogh' em termos de quociente intelectual (Q.I.)?"
Da mesma forma, não faz sentido racionalizar o amor.

Anônimo disse...

Não faz sentido analisar as formas geométricas nem as equações de uma obra de arte.
"Quem ousaria avaliar um 'Van Gogh' em termos de quociente intelectual (Q.I.)?"
Da mesma forma, não faz sentido racionalizar o amor.

Denis Jonas, O Pimenta disse...

PARABÉNS PELO TEXTO! TENHO ACOMPANHADO AS COISAS QUE VC ESCREVE E NOTEI QUE VC SE EXPRESSA COM MAESTRIA. MAIS UMA COISA: PARABÉNS PELA CORAGEM, NENHUMA PESSOA FALA TÃO BEM SOBRE AQUILO QUE NUNCA SENTIU. ABRAÇOS...

Postar um comentário