quinta-feira, 8 de março de 2012

Porque

Porque eu não demonstro uma gota da saudade que sinto, é verdade, mas você me conhece muito mais do que os meus olhares desviados.


Porque não é por não te ligar que a vontade não existe. Continuo digitando os números que ainda sei de cor; continuo escrevendo e não mandando mensagens pra você.


Porque eu não deveria escrever mais nada, não deveria falar mais nada, mas se eu prender por mais tempo tudo isso aqui dentro, vira câncer.


Porque eu ainda penso em você e em nós dois todos os dias e confesso, não sei se com mais medo ou certeza, que isso não vai mudar tão cedo.


Porque eu tento não lembrar das coisas boas, tento focar em tudo de ruim que vivemos, mas ainda não consigo ignorar tantos sorrisos do seu lado.


Porque mudar de planos é revigorante, mas só quando a gente quer que esses planos mudem, senão é só triste e doído.


Porque a gente sempre esquece como dói a dor da saudade, até que ela volta, ocupa o lugar que ficou vazio e faz cair a ficha de que acabou.


Porque não importa a sobriedade dos dias que passam arrastados, não importam as noites onde a falta é sempre maior - eu sempre espero uma coincidência.


Porque eu não acredito mais em histórias perfeitas nem em contos de fadas, então acho que sim, a gente ainda pode ter mais coisa pra viver.


Porque você me dá todos os motivos pra não ter esperanças, mas mesmo assim eu tenho, mesmo assim eu espero, mesmo assim eu te amo.



2 comentários:

Marcos Alexandre Silveira disse...

http://www.palavrascompreensivas.blogspot.com.br/

Babi disse...

Pode chorar? =(

Postar um comentário