segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Então é Natal

Então é Natal e a gente já não tem mais idade pra escrever cartinha pro Papai Noel, mas  a gente cresce e com a gente, crescem os pedidos. A gente quer tudo e mais um pouco, e com o tempo vem crescendo as doses de realidade e requinte de pé no chão.
Então é Natal e a gente aprendeu que não precisa pedir coisas concretas: é só trabalhar que a gente mesmo compra.


Então é Natal e a festa é cristã, mas pedir coisinhas com a fé que temos, seja lá em quem ou o que, tá valendo do mesmo jeito. Os pedidos mudam, viram rezas e tem gente que vem pedir marido, quando deveria pedir pra não ter que pedir por isso, por uma instituição ou por amor. Gente que pede pra ser feliz, e esquece de abrir o olho, levantar e sair de joelhos, pra ir lá, ser feliz.

Então é Natal, e ano novo também. Não pede pra não se magoar, mas sim pra saber lidar com todas as mágoas, porque elas vão vir, mas também vão passar. Ao invés de pedir paciência, pede pra lembrar de respirar fundo, de sorrir - e se esforça, que às vezes nem pedir isso vai ser preciso. Não pede amor, não pede grandes histórias, não pede. Levanta e ama, escreve a sua vida, sem pedir.

Então é Natal, mas isso vale pro ano todo.

2 comentários:

Jorge Banda disse...

É isso, funciona.....

Kadu Borges disse...

E com certeza para a vida toda. Muito bom o texto Nina...Parabéns!
Bjs

Postar um comentário