quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Minhas colunas

Ontem minha tia foi lá em casa conversar com a minha mãe. Em determinado momento, elas resolvem marcar um almoço ou sei lá o que e minha mãe pega a agenda pra escrever. Se depara com o texto e começa a falar.

Um parêntese: herdei o amor pela leitura da minha mãe, e o da escrita do meu pai. Mamãe, todo final de ano, escolhe um texto que lhe inspire coisas boas pra colar em sua agenda do ano seguinte. Neste ano de 2007 ela vem sendo inspirada por um texto meu. Orgulho de mãe, eu sei. Mas cara, minha mãe é minha mãe, e mãe é mãe, trelelé, trilili. Mas CARA, minha mãe tem bom gosto. Se algo que eu faço tá ruim, por menos estúpida que ela seja, é a primeira a me falar. 'Não, filha, não ficou bom.' ou 'é, ficou bacana.' Esse último já sei logo que ficou uma bosta, mas vida que segue. Então, pra ela colocar um texto meu como inspiração prum ano que se segue, acho que ela realmente gostou, e que o bendito ficou bom. Fecha parêntese.

Contou pra minha tia que eu fiz esse texto em homenagem ao dia das mães na minha coluna semanal (www.maceiobrasil.com.br pra quem não sabe) e ela achou lindo, chora toda vez que lê e mostra pra todo mundo.

- Coluna semanal??

Minha tia mora longe e não sabia que eu escrevia, muito menos que rolava um esquema de escrita semanal. Mas não é porque ela mora longe - parei pra pensar e vi que provavelmente nenhum parente meu sabe que esta coluna existe, ou sequer que escrevo tanto (quantidade) assim. Deve ser porque meus leitores fazem mais propaganda minha do que eu mesma, enfim.

Então minha mãe leu o texto pra minha tia, que não só amou como pediu pra que minha mãe lesse outra, e depois mais uma. Aí mandou que eu anotasse o endereço e mandasse pra ela por e-mail pra que ela e os filho pudessem acompanhar, afinal "temos uma artista na família". Hehehe, obrigada, tia Rogéria.

Ah, é isso. Achei bacana minha tia, 30 anos mais velha do que eu, se identificar com coisas que escrevi há 1 ano. Pensei que não deveria ser só ela, mas muita gente deve pensar como eu, e gostar do que escrevo. Pensei "que bom. Espero virar escritora e conseguir não morrer de fome". Por enquanto é só um sonho. Por enquanto.

3 comentários:

Rafa disse...

aloooooo!!!!!!


q isso... agora eu to metida a besta mesmo! ganhei 2 comentarios da Nina me elogiando!! olha que chique bem!! hahahahhaha


Momentos depressivos, sempre me ajudaram a escrever rs


vou me atualizar do seu blog assim q eu chegar... tenho q sair em 5 minutos, mas eu volto... juro q eu volto! rs


brigada Ninaaaaaaaaaaaa


beijao

cleo maia disse...

Nina
Li o seu post abaixo em relação aos comentários em blog e etc.
E concordo, porque quando escrevemos, escrevemos com carinho sbore experiências nossas, dos outros, situações vividas e até conselhos porque não?
E tenho o meu blog que não têm comentários, mas vejo que isso me afetou mt quando eu começei, mas foi isso que me deu força para continuar, porque é bom saber que alguém gosta do que escrevemos, mas melhor ainda é quando nos orgulhamos de nós mesmas em ler um texto feito por nós.
Fica com Deus bjos

Clara disse...

arrastando alguns moveis e tirando a poeira dos cantos. muito bem! =)
o mais importante é gostar e acreditar no que se faz. e determinação eu vejo que vc tem aos montes!
boa sorte!

beijos

Postar um comentário