sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Chega uma Hora

Chega uma hora
Que se a gente não fechar uma porta
Não vê outra aberta

Se não virar o rosto
Não vê  que tá do lado

Chega uma hora
Que se não abrir os olhos
Não vê mais

E se não amassar as cartas antigas
Não lê as novidades

Chega uma hora
Em que as fotos velhas
Saem do mural para a memória
Porque se não saírem 
Não terá lugar para as novas

Chega uma hora
Em que olhar pra trás
Não significa voltar os passos dados
E ao invés de se arrepender
E parar tudo para consertar
A gente simplesmente continua
Pra mais pra frente não voltar a errar

Chega uma hora que chega
E essa hora já chegou 
Viver sem você será diferente
Mas garanto, certamente,
O melhor que o destino traçou.

(2002)

Um comentário:

Cleiton disse...

Gostei do texto. O tempo passa para quase tudo mesmo. Chega um mometo que não há mais motivos para arrependimentos ou consertos em certas coisas...não tem mais graciosidade no ato, acabou. :-)

Postar um comentário