sexta-feira, 15 de junho de 2007

Não sou quem pareço

Antigamente eu destestava a minha cara de garotinha patricinha, filhinha-de-mamãe e fútil, mas hoje vejo que isso pode ser legal. :) É realmente bacana nego não dar R$1,00 pela sua capacidade mental pra qualquer coisa que seja e de repente ler algo que tu escreveu ou ver alguma coisa bacana que você fez. Nada paga o rosto incrédulo do cidadão de "mas tem certeza que foi você MESMO quem fez isso?" ou "tu nem de longe parece ser o que você é". Segundo minha amiga e aniversariante da data de hoje, eu "intimido as pessoas" com esse meu jeito, mas além de não ser metida, sou muito melhor de perto. Também acho, Lu. :) Sou o exemplo vivo de "as aparências enganam", por isso fã incondicional da frase 'espero que você não me julgue porque eu jamais vou te julgar'. Não que eu nunca tenha, por impulso teimoso que tenho, tentado julgar alguém de alguma forma um dia, mas há muito venho tantado não fazê-lo, para que comigo não o façam. Sabe como é: quase sempre o julgamento acaba sendo errado. Principalmente o pré.

Agora me digam se eu mereço: o cidadão colega de trabalho me diz que está passando mal e acha que é dengue, pois está muito dengoso. Aí eu mando contar cocô de vaca no pasto da colina e me chamam de sem senso de humor. Essa tá velha, Fábio. Huhauauhauh! Ok, eu ri. Huhaauhahuha!

2 comentários:

Thiago Herculano disse...

Tu diz que eu sou maluquete... que eu devo ter problemas... vive me julgando.. sua julgadora !hahahahaha

Vou te jugar tb.. patricinha, metida, filhinha da mamãe e sem senso de humor !
hahahaahha


*aquele que vem no blog pra brigar !
=D

Deixa eu irrrr pra minha jornada de trabalho escravo de 40 horas semanais.

Beijossss

Jujuba disse...

Nhaaa Tchutchuuuu

Teu blog tah fofo!!!

^^

;***

Postar um comentário